Ativistas processam Madonna por apoio a homossexuais

Alguns ativistas russos processaram a cantora Madonna por milhões de dólares, afirmando que estavam ofendidos com apoio dela aos direitos homossexuais durante um show, realizado recentemente em San Petersburgo.

AE, Agência Estado

19 de agosto de 2012 | 14h05

O sentimento contra os homossexuais é forte na Rússia. Em San Petersburgo, um lei aprovada em fevereiro torna ilegal promover o homossexualismo para menores e o autor da lei apontou a presença de crianças com até 12 anos no show da cantora no dia 9 de agosto.

Alexander Pochuyev, um advogado que representa nove ativistas, disse que um processo foi aberto na sexta-feira contra Madonna, o organizador do show da cantora e o lugar onde foi realizado o concerto, afirmando que os danos totalizavam 333 milhões de rublos, ou cerca de US$ 10,5 milhões, informou a agência de notícias russa RIA Novosti.

Respondendo à critica de que os ativistas estava presos na Idade Média, o advogado disse que eles estavam usando métodos modernos e civilizados para defender seus direitos. "Ninguém está queimando ninguém na estaca ou realizando uma Inquisição", afirmou Pochuyev, segundo a agência. "A civilização moderna exige tolerância e respeito a valores diferentes." As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
RússiaprocessoMadonna

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.