AP Photo/Evan Vucci
AP Photo/Evan Vucci

Ativistas protestam contra Twitter por não remover conta de Trump após ameaças à Coreia do Norte

Para grupo Resist SF, presidente americano violou os termos de uso da rede social ao proferir uma ameaça

O Estado de S.Paulo

04 Janeiro 2018 | 08h22

LOS ANGELES, EUA - Um grupo de ativistas organizou um protesto na sede do Twitter em San Francisco para criticar a empresa por não ter excluído a conta do presidente dos EUA, Donald Trump, após as recentes mensagens dirigidas à Coreia do Norte.

+ Secretário-geral da ONU alerta para risco nuclear

"Kim Jong-un disse que o botão nuclear está em seu escritório. Poderia alguém de seu faminto e minguado regime dizer para ele que eu também tenho um botão nuclear, mas que o meu é muito maior e mais poderoso que o dele, e funciona?", escreveu Trump.

+ Golfe, tuítes e política: assim são as férias de Trump na Flórida

Em resposta, o grupo Resist SF projetou na fachada da sede do Twitter em San Francisco várias palavras contra os responsáveis da companhia tecnológica por não tomar medidas contra o perfil de Trump, já que o presidente violou os termos de uso da rede social ao proferir uma ameaça.

Nas últimas horas, a Resist SF compartilhou na sua página do Facebook imagens de sua ação reivindicativa.

Fontes do Twitter afirmaram ao site Mashable que a mensagem de Trump não violou os seus termos de uso. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.