Ativistas russos usam internet em expansão para se mobilizar

Ao menos 50 milhões de pessoas acessam a rede no país - um terço delas, todos os dias -; blogueiro foi preso em dezembro

MOSCOU, O Estado de S.Paulo

03 de março de 2012 | 03h02

Em 2011, a internet passou a desempenhar um importante papel na vida pública russa. Dos quase 142 milhões de habitantes do país, ao menos 50 milhões têm acesso à rede - e um terço acessa a web diariamente. Com o aumento do ativismo político online, porém, veio a repressão: segundo um relatório da ONG Agora, no ano passado houve 500 denúncias de tentativas de restringir a liberdade na internet. Entre 2008 e 2010, elas foram 88.

Entre as ameaças, estão propostas para regulamentar a rede, processos e o uso da violência. A principal ameaça, entretanto, vem da própria rede: ataques de hackers - frequentes contra sites críticos do governo.

A internet ainda é considerada um espaço com liberdade para discussões na Rússia, que não filtra a rede. A ofensiva de Moscou é mais assertiva: forte atividade de internautas pró-Kremlin, pressão sobre os provedores e pedidos para servidores fecharem sites e blogs. Uma brecha legal ainda permite o acesso a qualquer conteúdo online.

Os mais conservadores já cogitaram de bloquear o Google, o Hotmail e o Skype - justamente por não serem monitorados. A ideia, entretanto, foi descartada.

Estudo da Universidade Harvard sobre a internet russa mostra que mais de mais de 60% dos usuários têm entre 18 e 24 anos, a maioria com alto nível educacional e de áreas urbanas. "O crescimento da internet ainda está em processo na Rússia. A maioria dos internautas apenas tem seu e-mail e usa a rede para entretenimento e informação - quase não manifesta interesse político. A diferença está no profundo envolvimento da comunidade das grandes cidades", afirma Anton Merkov, especialista em internet. "Podemos esperar ainda o aumento de projetos como o RosPil (que investiga gestões governamentais e o mau uso de dinheiro público), do blogueiro e ativista Alexei Navalni."

Blog anticorrupção. O homem que representa um dos maiores desafios para o Kremlin não disputa nenhum cargo político nas eleições de domingo. Foi expondo casos de corrupção em seu blog que Navalni, um advogado de 35 anos, roubou a cena na política russa e tornou-se um dos opositores que mais ganharam força nos últimos anos. Hoje, o ativista tornou-se o principal mobilizador da população contra as fraudes eleitorais.

Até a onda de protestos de dezembro, Navalni era famoso apenas na blogosfera. Mas chegou a discursar para multidões e passou 15 dias preso no fim de 2011. Ele diz que não pretende se candidatar a nenhum cargo porque não considera o processo eleitoral justo, mas numa pesquisa informal feita pelo jornal Kommersant, Navalni foi "eleito" com 45% dos "votos". / T.E.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.