Ato contra monarquia do Bahrein deixa 1 morto

MANAMA

, O Estado de S.Paulo

15 de fevereiro de 2011 | 00h00

Pelo menos 1 pessoa morreu e outras 20 ficaram feridas em uma série de protestos, da qual participaram milhares de manifestantes no Bahrein. As forças de segurança usaram bombas de gás lacrimogêneo e balas de borracha para dispersar as manifestações na pequena monarquia árabe do Golfo Pérsico.

As redes sociais da internet foram inundadas com convocações feitas por grupos políticos jovens, ativistas pelos direitos humanos e estudantes para o protesto em favor de transferência de mais poderes para o Parlamento e o fim do controle da família real sobre os principais postos do governo.

A data marcava o aniversário da Constituição de 2002, que promulgou reformas democráticas, como a eleição de deputados. A maioria xiita do Bahrein - cerca de 70% da população - queixa-se de discriminação sistemática por parte dos governantes sunitas.

Choques ocorreram em Newidrat, área de maioria xiita, no sudoeste do reino. Na véspera, forças de segurança e manifestantes se enfrentaram no povoado de Karzakan, no oeste do país. Vários policiais e manifestantes ficaram feridos.

As autoridades prometeram reduzir os controles do Estado sobre os meios de comunicação. Na semana passada, o rei Hamad bin Isa Al Khalifa concedeu a cada família do país o equivalente a US$ 2.700, numa tentativa de aplacar os protestos.

O pequeno Estado petrolífero, de cerca de 800 mil habitantes, é um aliado-chave dos EUA no Golfo Pérsico. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.