Ato em favor de líder substitui cerimônia

Autoridades regionais e partidários do presidente devem comparecer a manifestação em frente ao Palácio de Miraflores

CARACAS, O Estado de S.Paulo

10 de janeiro de 2013 | 02h02

Uma grande manifestação de apoio na frente do Palácio de Miraflores, com a participação de militantes vindos de todos os pontos do país, substituirá hoje a festa da posse do novo mandato de Hugo Chávez - adiada na terça-feira pela Assembleia Nacional e referendada ontem pelo Tribunal Supremo de Justiça. A Guarda Nacional reforçou ontem a segurança em vários pontos de Caracas para evitar incidentes.

Hotéis que devem abrigar personalidades e alguns chefes de Estado foram totalmente militarizados. O Grande Meliá Hotel, no distrito caraquenho de Sabana Grande, era custodiado ontem por um destacamento de centenas de soldados da GN. Em cada andar, três militares vigiavam os corredores.

Além de chefes de Estado e de governo de pequenas nações do Caribe que integram o bloco Aliança Bolivariana das Américas (Alba), eram esperados ontem o presidente do Uruguai, José Mujica, o chanceler equatoriano, Ricardo Patiño, e o presidente destituído do Paraguai, Fernando Lugo.

Mujica não descartava ontem a possibilidade de deslocar-se de Caracas a Havana, numa tentativa de visitar Chávez. À capital cubana, também na esperança de encontrarem-se com o líder bolivariano, devem chegar amanhã os presidentes da Argentina, Cristina Kirchner, e do Peru, Ollanta Humala. O último comunicado sobre a saúde do presidente foi divulgado na segunda-feira à noite pelo ministro da Informação e Comunicação, Ernesto Villegas. Segundo ele, Chávez ainda apresentava um quadro de infecção pulmonar. / R.L.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.