Ator que teria matado chinês pode ser extraditado

O ator pornô canadense suspeito de assassinar e desmembrar um estudante chinês em Montreal (Canadá), teve a detenção ordenada por um juiz e não vai recorrer da extradição, afirmou nesta terça-feira a polícia de Berlim.

AE, Agência Estado

05 de junho de 2012 | 13h00

O porta-voz da polícia, Thomas Neuendorf, disse que Luka Magnotta, 29, teve audiência com um juiz na tarde de terça-feira (horário local). A seguir, ele foi transferido de um centro de detenção para uma prisão em Berlim."De acordo com sua declaração para os promotores, ele não vai lutar contra a extradição", disse Neuendorf.

Magnotta foi preso na segunda-feira em um cybercafé localizado em um bairro de classe operária na capital alemã. Um funcionário reconheceu o suspeito a partir de uma foto de jornal e, logo em seguida, alertou um carro de polícia que passava por perto. As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
AlemanhaCanadácrimeator pornô

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.