Atos de violência deixam saldo de 40 mortos no Iraque

Cerca de 40 pessoas morreram nesta sexta-feira ematentados e assassinatos a sangue frio registrados em váriasprovíncias do Iraque. Pela manhã, foram encontrados os corpos de 14 pedreiros que haviam sido seqüestrados na quinta quando se dirigiam a suas casas na cidade deBalad, 60 quilômetros ao norte de Bagdá. Os 14 tinham sido degolados e seus corpos estavam espalhados emuma plantação de milho na área conhecida como Basateen, perto dacidade de Duluiya, 90 quilômetros ao norte de Bagdá, na provínciade Salah ad-Din. Era um grupo de 17 pedreiros que pertenciam a uma mesma companhiade construção. Voltavam de seu trabalho quando vários homensarmados interceptaram o ônibus em que viajavam. Eles foram entãolevados para um lugar desconhecido, sem que se tivessem notíciasdeles desde ontem. Três deles continuam desaparecidos. Mais ao norte, na cidade de Mossul, um ataque múltiplo ontem ànoite contra vários edifícios policiais e governamentais, que duroucinco horas, acabou com a morte de 11 pessoas, dez deles rebeldes eum policial, além de quatro policiais feridos e a detenção de 54Insurgentes. O general da polícia, Waziq Mohammed Abdelqader, explicou que nosataques os rebeldes quiseram tomar o controle da cidade e dadelegacia central da Polícia, mas não conseguiram. A polícia confiscou também 21 carros utilizados pelos rebeldes eum caminhão cheio de armas e munição. Após quase 24 horas de toque de recolher, finalmente o governo deNinawa (cuja capital é Mossul) retirou as restrições impostas àcirculação de pessoas e tudo voltou ao normal nas primeiras horasdesta noite. Em Suwera, 40 quilômetros ao sul de Bagdá, vários desconhecidosmataram nesta sexta oito camponesas, duas delas adolescentes, eseqüestraram duas meninas, informaram fontes policiais. As mulheres e as meninas estavam trabalhando em uma plantaçãoquando de repente apareceram no terreno vários homens armados e, semrazão aparente, dispararam contra as mulheres e raptaram as meninas. Nesta mesma região, um general iraquiano e um comandante foram mortos em uma enorme explosão em um quartel das forças especiais,ocorrida esta manhã em Hilla, cerca de 100 quilômetros ao sul deBagdá. Segundo informaram fontes do governo da província de Babel (cujacapital é Hilla), o general-de-brigada Salam Tarad al-Mamudi e seuadjunto morreram na explosão. Oito agentes ficaram feridos. As forças especiais são formadas quase que inteiramente poragentes xiitas, que são acusados de formar "esquadrões da morte" ede assassinar dezenas de sunitas ao cair da noite. Além disso, três soldados iraquianos morreram por um ataquesuicida perpetrado esta tarde na área de Tal Afar, no noroeste doIraque, segundo disseram autoridades municipais da cidade. Nayma Abdelqader, membro da prefeitura local, explicou que osuicida conduziu um carro a toda velocidade, jogando-o contra umapatrulha do Exército iraquiano no povoado de Mazraa, 20 quilômetrosa leste de Tal Afar. Um soldado americano também morreu nesta sexta-feira em Tikrit (175quilômetros ao norte de Bagdá) com a explosão de uma bomba escondida emuma estrada, segundo um comunicado militar dos EUA. O soldado pertencia à 105.ª unidade de engenheiros da força deInfantaria, baseada no norte do Iraque.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.