Atual presidente vence 1ª eleição desde o genocídio em Ruanda

Nove anos depois de extremistas hutus tentarem acabar com a minoria dos tutsis, os ruandeses deram uma vitória esmagadora a um presidente tutsi, que obteve 95,05% dos votos na primeira eleição presidencial desde o genocídio de 1994. O austero líder rebelde cujas forças puseram fim aos 100 dias de ataques que convulsionaram o país derrotou seus dois principais adversários no pleito de segunda-feira tendo como plataforma reunir a população em torno da reconstrução da economia do país da África Central. Com 95,55% dos votos de todos os 106 distritos eleitorais contados, Paul Kagame - que assumiu a presidência após a renúncia em 2000 de Pasteur Bizimungu, do qual era vice - derrotou seu principal competidor, Faustin Twagiramungu, que obteve 3,62% dos sufrágios, e o terceiro candidato, Jean-Nepomuscene Nayinzira, teve 1,33% do total dos votos, disse nesta terça-feira o chefe do comitê eleitoral, Chrysologue Karangwa.Atecipando-se aos números oficiais, que serão confirmados pela Suprema Corte ruandesa dentro de cinco dias, Kagame declarou a seus simpatizantes reunidos esta manhã em um estádio em Kigali, a capital, que ?nossa vitória será uma mensagem para o mundo de que Ruanda está no caminho certo?.No entanto, seu rival hutu, Twagiramungu, disse que pretende contestar os resultados na Suprema Corte, e acusou o atual regime de ser unipartidário.Embora os funcionários ruandeses tenham negado a ocorrência de fraudes durante a votação, observadores da União Européia e diplomatas ocidentais disseram que muitas das acusações são verdadeiras.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.