Audiência de Gonzales é adiada após tiroteio nos EUA

A aparição antecipada do procurador-geral dos EUA, Alberto Gonzales, perante o painel investigativo do Congresso sobre a demissão de oito procuradores federais foi adiada nesta segunda-feira, 16, em consideração ao tiroteio que tirou dezenas de vidas em uma universidade no estado de Virginia. O presidente do Comitê Judiciário do Senado, o democrata Patrick Leahy, anunciou que a audiência, que havia sido marcada para terça-feira, foi transferida para a quinta-feira, 19.Leahy disse que a morte de 33 pessoas nos tiroteios foi "uma questão onde toda a nação vai compadecer amanhã, e muitos membros dos dois lados do congresso vão participar desse sentimento"."O procurador-geral está ansioso para testemunhar. Mas em respeito às famílias impatcadas por essa horrível tragédia, ele vai adiar seu depoimento", disse um porta-voz do Departamento de Justiça.O Comitê Judiciário está investigando o caso da demissão dos oito procuradores federais no ano passado, com suposta motivação política.Gonzales nega as acusações, mas admite uma má administração do caso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.