Audiência sobre Polanski termina sem decisão nos EUA

Uma audiência que poderia decidir o destino de Roman Polanski terminou hoje sem decisão numa Corte de Apelações da Califórnia. O diretor de cinema é acusado de ter mantido relações sexuais com uma adolescente de 13 anos, 32 anos atrás, nos Estados Unidos.

AE-AP, Agencia Estado

10 de dezembro de 2009 | 20h18

Os três juízes ouviram, por mais de uma hora, os argumentos dos advogados de Polanski, de sua vítima e dos promotores. Os juízes fizeram perguntas a cada advogado para testar seus argumentos. O advogado de Polanski pediu para que o caso contra o diretor de "Chinatown" fosse encerrado.

A corte de apelações em Los Angeles deve decidir se ordena que um juiz da Suprema Corte considere o encerramento do caso sem a presença de Polanski. Os promotores argumentam que o caso deve continuar, já que Polanski foi detido em setembro na Suíça. Os juízes devem, eventualmente, emitir uma decisão por escrito.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.