Áudio atribuído a Bin Laden diz que França está sendo punida com sequestros

Gravação diz que franceses foram sequestrados na África devido à 'tirania' do país, que proibiu véus islâmicos em público.

BBC Brasil, BBC

27 de outubro de 2010 | 13h48

Osama Bin Laden teria divulgado uma nova gravação em áudio

Uma gravação de áudio divulgada nesta quarta-feira, atribuída ao líder da rede extremista Al-Qaeda, Osama Bin Laden, liga o sequestro de franceses em um país africano ao tratamento dado aos muçulmanos no país europeu.

Em setembro, o Senado francês aprovou a proibição do uso em público do véu islâmico que cobre total ou parcialmente o rosto das mulheres, gerando críticas de muçulmanos conservadores.

Na gravação, trazida a público pela rede de TV árabe Al-Jazeera, o suposto Bin Laden diz que os sequestros de cinco franceses no Níger foram uma punição pela "injustiça" e "tirania" da França contra os seguidores da fé islâmica.

De acordo com o homem na gravação, a França acredita que tem "o direito de impedir que mulheres livres usem o hijab (véu islâmico)".

A gravação continua afirmando que a proibição em lugares públicos de véus islâmicos é "opressão colonial".

Bush

Os cinco cidadãos franceses e outras duas pessoas foram sequestradas por militantes da Al-Qaeda em uma mina de urânio no Níger em setembro.

Acredita-se que os sequestrados estejam no país vizinho, o Mali, e as autoridades dos dois países africanos acreditam que eles ainda estão vivos.

A voz atribuída a Osama Bin Laden também diz na gravação que, para proteger sua segurança, a França deve "se retirar da maldita guerra de (ex-presidente americano George W.) Bush no Afeganistão".

Bin Laden, acusado de planejar atentados como os de 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos, é um dos homens mais procurados do mundo.

Alguns acreditam que ele possa ter sido morto há anos, outros afirmam que ele ainda está vivo e morando na região entre o Afeganistão e o Paquistão.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.