Aumenta a pressão pela renúncia do vice-premier britânico

A pressão pela renúncia do vice-primeiro-ministro do Reino Unido, John Prescott, aumentou nesta segunda-feira depois de vários jornais reproduzirem fotos nas quais o político aparece jogando críquete em sua residência oficial em vez de estar no escritório.As fotografias, publicadas primeiramente pelo jornal The Mail on Sunday, foram tiradas na tarde de quinta-feira, quando o primeiro-ministro, Tony Blair, estava nos Estados Unidos e Prescott deveria substitui-lo no comando do governo.O cargo de Prescott está ameaçado desde a última reforma no governo, no início de maio, quando Blair decidiu mantê-lo no governo, mas retirou muitas de suas responsabilidades.O primeiro-ministro decidiu reduzir as funções do vice depois da divulgação da notícia de que Prescott manteve uma relação extraconjugal com sua secretária durante anos.Desde então, alguns deputados trabalhistas, a oposição e boa parte da imprensa questionam se Prescott faz jus ao cargo, que coloca carros e uma residência no condado de Buckinghamshire à sua disposição e inclui um salário anual de 134 mil libras (200 mil euros).As fotos jogando críquete, um esporte tradicionalmente praticado pelos aristocratas, reforçaram a impressão de que Prescott não tem muito a fazer e enfraqueceram sua reputação de homem simples de classe operária.Enquanto alguns jornais falam de uma conspiração de parlamentares trabalhistas para tirar Prescott do poder, alguns deputados trabalhistas afirmaram publicamente que talvez tenha chegado a hora de uma mudança.Helena Kennedy, por exemplo, disse que seria um "bom momento" para substituir o vice-primeiro-ministro, enquanto Denis MacShane, antigo secretário de Estado para a Europa, ressaltou que o partido precisa uma renovação "a partir da cúpula", e que ninguém "é imune".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.