Aumenta concentração de riqueza no México

No México, os ricos estão ficando mais ricos, e os pobres estão ficando mais pobres, revela o estudo realizado pelo Instituto Nacional de Estatística (INEGI). Segundo o estudo, 18 milhões de mexicanos vivem hoje em situação de extrema pobreza, em comparação com os 17 milhões apontados em estudo de 1998 realizado pela Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe. Os dados do INEGI, baseados no censo nacional do ano passado, também revelam um grande contraste entre as regiões geográficas, municípios e níveis sócio-econômicos no México. O presidente do INEGI, Antonio Puig, disse que os mais pobres, que representam 60% da população, concentram apenas 25,5% da renda total do país, ante 26,9% da renda nacional em 1996. Os mais ricos - que representam 10% da população no México - concentram 38,1% da renda total, ante 36,6% da renda total em 1996. "Esses números são assustadores", disse Puig. "Considerando que somos a 13ª maior economia no mundo, esses são constrastes aos quais devemos reagir", acrescentou. Embora a pobreza geral aparentemente tenha diminuído no México, Puig disse que a população que vive em situação de extrema pobreza não é capaz de se sustentar apesar do forte crescimento econômico registrado nos últimos cinco anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.