Aumenta consenso nos EUA a favor da pena de morte para menores

O consenso contra as sentenças de morte impostas a pessoas que cometeram delitos quando tinham menos de 18 anos aumenta nos Estados Unidos, segundo um estudo da organização de defesa dos direitos humanos Anistia Internacional (AI). Em 22 Estados, segundo o estudo "A indecência e a ilegalidade da pena de morte contra menores", aumentou a quantidade de condenações capitais contra jovens culpados de crimes cometidos antes de atingir a maioridade."O relatório está sendo divulgado um dia após um juiz de Vermont ter declarado inconstitucional a pena de morte federal, e depois de a Corte Suprema ter abolido a pena de morte para todas as pessoas com doenças mentais", disse William F. Schulz, da seção norte-americana da AI.Desde 1990 até hoje, diz o estudo, os Estados Unidos encabeçam a lista de países que executam pessoas que cometeram crimes antes dos 18 anos, seguidos do Irã, Paquistão e Congo - este último, no entanto, tendo substituído nos últimos anos a pena de morte de menores pela prisão perpétua. "As pesquisas científicas indicam que o desenvolvimento do cérebro humano continua depois de passada a segunda década de vida", afirmou Schulz.Para a AI, a postura dos EUA a respeito do assunto é um desafio às Nações Unidas e ao direito internacional. "É evidente que os Estados Unidos são os principais perpetradores mundiais desta violação dos direitos humanos, condenada universalmente", diz o estudo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.