Aumenta frustração da ONU com lentidão na resposta de Mianmar

O secretário-geral da Organizaçãodas Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, afirmou na segunda-feirasentir-se extremamente frustrado com o fato de o governo deMianmar estar distribuindo de forma lenta demais a ajudaenviada aos cerca de 1,5 milhão de vítimas do ciclone Nargis. "Hoje é o 11o dia desde que o Nargis atingiu Mianmar",disse Ban a repórteres. "Quero deixar registrada minha profundapreocupação -- e imensa frustração -- com a respostainaceitavelmente lenta a essa grave crise humanitária." Em seus comentários mais críticos feitos até agora emrelação a Mianmar, o secretário-geral também disse que, apesarde suas repetidas tentativas de entrar em contato com o generalThan Shwe, um dos líderes do país asiático, ainda não haviaconseguido falar com o militar e viu-se obrigado a enviar-lheuma carta na segunda-feira. "Estamos em um momento crítico", disse. "A menos que aajuda chegue a esse país muito rapidamente, deparamo-nos com operigo de haver uma epidemia de doenças contagiosas que faria aatual crise perder importância." "Sendo assim, apelo da forma mais pungente ao governo deMianmar para que coloque a vida das pessoas em primeiro lugar.Esse governo precisa adotar todas as medidas necessárias paraevitar que o desastre torne-se ainda mais grave." O chefe da área de assuntos humanitários da ONU, JohnHolmes, afirmou a repórteres que o problema da falta deconcessão de vistos a funcionários da entidade havia melhoradoum pouco. Segundo Holmes, Mianmar concedeu um total de 34 vistos deentrada para membros de equipes de ajuda humanitária da ONU. Aautoridade observou, no entanto, que outros vistos seriamnecessários. (Reportagem de Louis Charbonneau)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.