EFE/Michael Reynolds
EFE/Michael Reynolds

Cresce número de apostadores que acreditam em saída prematura de Trump da presidência

Após semana tumultuada na Casa Branca, casas de apostas britânicas afirmam que pessoas arriscam mais de 5 mil libras na ideia de que o presidente americano não completará os quatro anos de mandato

O Estado de S.Paulo

17 Maio 2017 | 11h05

LONDRES - Os apostadores britânicos acreditam que, diante da situação atual, é mais provável que o presidente dos EUA, Donald Trump, deixe o cargo antes do fim de seu primeiro mandato do que consiga concluí-lo, disseram casas de apostas do Reino Unido nesta quarta-feira, 17, depois de uma semana de tumulto na Casa Branca.

O site Betfair afirmou que os apostadores arriscaram mais de 5 mil libras em uma saída prematura de Trump nas horas seguintes à revelação de que ele teria pedido ao então diretor do FBI (Polícia Federal americana), James Comey, para encerrar uma investigação sobre os laços de seu ex-conselheiro de Segurança Nacional Michael Flynn com a Rússia.

Os temores de que as reformas econômicas do presidente possam ser freadas e de que ele possa até enfrentar a ameaça de um impeachment reduziu a procura por dólares. Nos mercados de apostas britânicos, as chances de que Trump não irá concluir seu mandato de quatro anos aumentaram em 55% no Betfair. No mesmo site, a possibilidade de que o republicano deixe o cargo ainda neste ano é de 27%.

A porta-voz do site Ladbrokes, Jessica Bridge, acrescentou que a casa recebeu quase 50 mil libras esterlinas de vários apostadores a respeito do futuro de Trump, inclusive sobre a possibilidade de ele sofrer um impeachment e sobre o ano em que poderia ser substituído.

Veja abaixo: Trump acusado de pedir fim de investigação do FBI

"Praticamente não se passa um dia sem um escândalo de Trump, mas o dinheiro manda, e os apostadores estão ficando cada vez mais convencidos de que o presidente pode sofrer um impeachment mais cedo do que mais tarde", disse Jessica.

Os mercados de apostas políticas britânicos explodiram nos últimos anos. Em 2016, milhões arriscaram a sorte antes do resultado surpreendente do referendo que decidiu a saída do Reino Unido da União Europeia, e da eleição de Trump, o evento político que mais provocou apostas em toda a história. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.