Aumenta o número de mineiros em greve na África do Sul

Mais mineiros sul-africanos entraram em greve nesta segunda-feira. 15 mil trabalhadores da mina de ouro KDC iniciaram uma paralisação e a Lonmin PLC afirmou que apenas 6% dos 28 mil empregados da mina de Marikana, a terceira maior produtora de platina do mundo, aparecerem para trabalhar nesta segunda-feira.

AE, Agência Estado

10 de setembro de 2012 | 10h30

Em uma outra mina de platina, a Implats, mais de 15 mil mineiros exigem aumento salarial de 10%, mas ainda não interromperam as operações.

Centenas de trabalhadores realizam um protesto na mina de Marikana nesta segunda-feira. Muitos carregam lanças e porretes. Eles marcham sob supervisão de tropas de choque. Um confronto entre policiais e manifestantes deixou 34 mineiros mortos em agosto.

Os grevistas ameaçam matar qualquer um que não respeitar a paralisação, convocada até que a Lonmin concorde em aumentar os salários para 12,5 mil rands por mês ($ 1,5 mil). As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
África do Sulgrevemineiros

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.