Aumenta para 27 número de mortos em atentado no Paquistão

O atentado levantou o temor perante a proximidade das eleições legislativas

EFE,

10 de fevereiro de 2008 | 04h58

Os mortos no atentado - provavelmente suicida - registrado neste sábado durante um comício no noroeste do Paquistão já são 27, segundo informou neste domingo, uma fonte citada pelo canal de televisão "Geo TV". O ataque aconteceu durante um ato eleitoral do Partido Nacional Awami (ANP), uma legenda laica e pashtun, na cidade de Charsadda, situada na província paquistanesa de Fronteira Noroeste. O atentado levantou o temor perante a proximidade das eleições legislativas, previstas para o dia 18 de fevereiro, que já foram adiadas devido ao assassinato da dirigente opositora Benazir Bhutto. "Foi provavelmente um atentado suicida. Ocorreu perto do palanque de autoridades mas nenhum dos líderes da ANP ficou ferido", declarou o ministro do Interior interino paquistanês, Hamid Nawaz. Charsadda já foi palco no dia 21 de dezembro de outro brutal atentado no qual morreram 54 pessoas, embora o autor errou sua tentativa para assassinar o ex-ministro do Interior Aftab Ahmed Khan Sherpao, que saiu ileso. O Governo do Paquistão emitiu uma recomendação aos candidatos eleitorais para que evitem sua presença nas grandes concentrações devido ao perigo de atentados. A província da Fronteira Noroeste é um dos centros de atividade dos talibãs paquistaneses, que têm seu reduto principal nas áreas tribais fronteiriças com o Afeganistão e que no passado cometeram atos terroristas contra os partidos políticos.

Mais conteúdo sobre:
ATENTADO, MORTOS, PAQUISTÃO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.