Aumenta tensão entre Rússia e Geórgia

As tensões entre a Geórgia e a Rússia aumentaram substancialmente hoje, com a o governo georgiano acusando Moscou de bombardear vilas em sua fronteira com a Chechênia, matando pelo menos uma pessoa e ferindo outras cinco. Aviões russos violaram o espaço aéreo georgiano, avançando cerca de 80 quilômetros dentro do território da Georgia, acusaram autoridades de Tbilisi. Os aviões bombardearam a vila de Bukhrebi e outros alvos na região de Pankisi, que faz fronteira com a Chechênia. Um residente de Bukhrebi - um homem - foi morto e cinco outros ficaram feridos, afirmou a principal autoridade de segurança na região, Paata Batiashvili. O presidente da Geórgia, Eduard Shevardnadze, havia dito mais cedo que três pessoas morreram e outras sete ficaram feridas no bombardeio, considerado por ele "absolutamente intolerável". "Se as coisas continuarem assim, a Geórgia terá de usar todos os métodos para cessar tais bombardeios", disse o presidente durante as comemorações do 10º aniversário da implementação do serviço de segurança da Geórgia. Militares russos negaram que seus aviões tenham lançado bombas sobre o território georgiano. O porta-voz da Força Aérea, coronel Alexander Dobryshevsky, afirmou que "não houve nenhum vôo (sobre a região), nenhuma incursão e nenhum ataque". No entanto, a Organização para a Segurança e Cooperação na Europa, que mantém patrulhas na fronteira entre a Rússia e a Geórgia, disse que seu pessoal viu "inúmeros aviões não identificados" voando em altitude elevada da Rússia para a Geórgia. O governo georgiano acusa freqüentemente os aviões russos de bombardearem seu território. Autoridades russas afirmam, por sua vez, que a Geórgia dá abrigo - e inclusive assistência - a rebeldes chechenos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.