Aumentam as restrições à imigração no mundo, diz ONU

O número de países que impôs restrições à entrada de imigrantes aumentou drasticamente nos últimos 25 anos, apesar de ter duplicado o número de migrantes, informou a Divisão de População das Nações Unidas. Joseph Chamie, diretor da divisão, disse que os governos que buscam trabalhadores capacitados enviam duas mensagens contraditórias aos imigrantes: "Oferece-se emprego" e "Fora daqui". "Cada vez mais se vê esta dupla mensagem: Quermos imigrantes, mas queremos (apenas) certos tipos e não queremos outros", disse. Alguns países buscam programadores de computadores, enquanto outros querem enfermeiras, arrumadeiras, colhedores de frutas e outros trabalhadores. Muitos países adotam também políticas destinadas a diminuir os níveis de imigração em conseqüência dos crescentes temores sobre custos econômicos, desemprego, conflitos sociais e tensões causadas pela entrada em seu território de pessoas de diferentes origens, disse Chamie. A ameaça de terrorismo também representa novos desafios. "Desde os atentados terroristas de 11 de setembro de 2001 nos EUA, um número cada vez maior de países começou a concentrar-se em suas segurança e tenta manter fora de suas fronteiras as pessoas que poderiam cometer atos de terror", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.