Ausência de Chávez antes da posse alimenta dúvidas

A incerteza está crescendo na Venezuela sobre quem irá liderar o país depois da quinta-feira (10), quando é improvável que o presidente Hugo Chávez cumpra o dever de fazer o juramento para a posse do cargo, depois de ter sido reeleito em outubro. Os venezuelanos há passaram cerca de um mês sem ouvir ou ver Chávez. O governo diz que ele está em uma situação "delicada", mas estável em um centro médico em Cuba, depois de uma cirurgia, no início de dezembro, para tratamento de um câncer.

Agência Estado

06 de janeiro de 2013 | 22h29

Para o governo de Chávez, no poder desde 1999, a resposta é clara: Chávez ganhou a eleição, então continuará nas suas tarefas de presidente sem uma cerimônia formal de juramento nesta quinta-feira. Isto apesar da condição delicada do presidente em Havana, com uma "severa infecção pulmonar". O vice-presidente, Nicolás Maduro, leal a Chávez, que foi escolhido pelo presidente para sucedê-lo se não puder dar prosseguimento às suas tarefas, disse, neste final de semana na TV, que Chávez deverá "continuar nas suas funções e a formalidade do juramento para o cargo pode ser resolvida depois pela Suprema Corte".

A oposição argumenta que a corte tem diversos membros leais a Chávez. Também indicam que a Constituição da Venezuela, que especifica que se o líder eleito não puder tomar o cargo em 10 de janeiro, data da posse, então novas eleições devem ser realizadas em 30 dias.

Se isso ocorrer, o presidente da Assembleia, Diosdado Cabello, outro partidário de Chávez, assumiria temporariamente a presidência até as eleições. Uma eleição provavelmente teria Maduro contra o líder da oposição, Henrique Capriles. A oposição não indicou que ficará no meio do caminho para permitir que Chávez permaneça no cargo, seja doente ou saudável.

A razão para isso, dizem analistas, é que os líderes da oposição não querem parecer que estão levando vantagem a partir de problemas de saúde de Chávez para tirá-lo do cargo em uma tecnicalidade. Isto poderia pesar contra eles se novas eleições foram realizadas nas próximas semanas ou meses. O que cria mais tensão entre partidários e opositores de Chávez é o segredo em torno da saúde de Chávez. Ainda não foi revelado qual o tipo de câncer do presidente. Ele disse que é na região pélvica.

Orações - Atletas rezaram na Venezuela, neste domingo, pela recuperação de Chávez. Pastor Maldonado, da Fórmula 1, Ernesto José Viso, da Indy, e outros atletas compareceram a uma missa em Caracas. As informações são da Dow Jones e da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Venezuelaposse

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.