Ausência de diálogo no Oriente Médio afeta planos dos EUA, diz Gates

Para secretário de Defesa, segurança nacional é ameaçada e 'adversários' aproveitam situação

Agência Estado

25 de março de 2010 | 12h02

WASHINGTON - As tensões entre israelenses e palestinos estão afetando os interesses de segurança nacional dos EUA na região, disse nesta quinta-feira, 25, o secretário de Defesa norte-americano, Robert Gates. "A falta de progresso para a paz no Oriente Médio é claramente um tema explorado por nossos adversários na região", afirmou em entrevista coletiva.

 

"Nossos adversários na região tiram proveito da ausência das negociações de paz e isso vai contra os interesses americanos em matéria de segurança nacional na região", disse o secretário de defesa americano.

 

Na semana passada, o general David Petraeus, chefe das forças americanas no Oriente Médio e na Ásia Central, havia manifestado a mesma preocupação durante uma audiência no Congresso dos EUA.

EUA e Israel, tradicionais aliados, passam por um momento de tensão, após as críticas de Washington aos planos dos israelenses de construírem novas casas em Jerusalém Oriental. Os palestinos querem essa área como capital de seu futuro Estado independente. Segundo o governo norte-americano, o anúncio de Israel prejudica os esforços de paz no Oriente Médio.

 

Essa tensão não foi amenizada no encontro entre o presidente dos EUA, Barack Obama, e o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, na terça-feira na Casa Branca. Especialistas dizem que o encontro não ocorreu em clima amistoso e o fato de ter acontecido a portas fechadas e não ter sido seguido de um comunicado conjunto pelas partes evidencia a teoria. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.