Ausência de líder impõe revés a plano chavista

Opositores especulam sobre substituição de vice-presidente por irmão de Chávez

Roberto Lameirinhas, O Estado de S.Paulo

30 de junho de 2011 | 00h00

Embora ainda não esteja claro se Hugo Chávez participará ou não das celebrações do bicentenário da independência da Venezuela, na terça-feira, especialistas venezuelanos acreditam que a doença do líder, seja ela qual for, já compromete os planos de seu Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV). "Chávez planejava uma apoteose cívica que desse uma superexposição ao PSUV e servisse como ponto de lançamento da campanha eleitoral de 2012", disse ao Estado o analista político do centro de estudos Pluris, de Caracas, Carlos López. "O governo mantém o mistério sobre a data de retorno de Chávez, mas sua ausência nas celebrações deve afetar o moral de seus partidários.

Entre os opositores, circula a versão segundo a qual Chávez poderia promover, nos próximos dias, a substituição do vice-presidente Elías Jaua por seu irmão Adán. "O certo é que o presidente se exporia a um grande desgaste político, caso promovesse essa mudança antes de retornar à Venezuela", afirmou López.

"Longe das especulações, seria preciso analisar a real disposição de Chávez de escolher o irmão como seu herdeiro político", acrescentou. "Há dois anos, Adán recebeu críticas veladas do Palácio de Miraflores ao fracassar num plano de implementar um programa de educação bolivariano."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.