Ausência de Raúl Castro em evento oficial frustra cubanos que esperavam reformas

CUBA

, O Estado de S.Paulo

27 de julho de 2010 | 00h00

As comemorações do 57.º aniversário da Revolução Cubana foram conduzidas ontem pelo número 2 do regime, José Ramón Machado. Esperava-se que o presidente Raúl Castro anunciasse reformas econômicas na cerimônia, mas o líder sequer fez seu tradicional discurso. O ex-presidente Fidel Castro, que apareceu várias vezes em público nas últimas duas semanas, também não participou. Em seu discurso, o vice-presidente disse que o governo continua a procurar soluções para os problemas do país, mas não fez referência às libertações de presos políticos. Em uma reunião com os chanceleres dos países da União Europeia, o ministro espanhol de Relações Exteriores, Miguel Angel Moratinos, reiterou que "todos" os presos políticos de Cuba serão libertados em quatro meses ou "até antes", mas admitiu que não tem o número certo de opositores detidos. A UE confirmou o adiamento para setembro da discussão sobre a mudança da política conjunta do bloco para a ilha.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.