Austrália anuncia campanha contra terrorismo

O primeiro-ministro australiano, John Howard, anunciou neste domingo uma grande campanha para o recesso de Natal que visa esclarecer à população a forma de reconhecer terroristas. Segundo o chefe do governo da Austrália, "esta campanha sem precedentes tem o objetivo de reforçar a necessidade de vigilância sobre as ameaças de atentados".A campanha pretende encorajar os australianos a dar informações às autoridades de qualquer anomalia, como um veículo abandonado em frente de um edifício público ou uma pessoa que deixa uma sacola num bar e foge de seguida. "Não quero que as pessoas entrem em paranóia sobre o assunto, mas devemos, mesmo que pareça inadequado, ajudar as autoridades", explicou Howard na televisão Channel Seven.Esta campanha de informação, anunciada seis semanas depois do atentado à bomba na ilha indonésia de Bali, que matou 190 pessoas, entre elas dezenas de australianos, é um novo sinal da tomada de consciência da população do país de que é vulnerável a atos de terrorismo.Segundo Howard, os australianos devem habituar-se ao fato de poderem estar convivendo com terroristas.O primeiro-ministro reafirmou também que o seu governo necessita de endurecer as leis de imigração para assegurar que membros de grupos suspeitos, como a Jemaah Islâmica e a rede Al- Qaida, possam ser expulsos do país."O governo não tem atualmente o poder para expulsar um homem que se diz membro da Jemaah Islâmica que reside na Austrália com um visto válido", lamentou Howard, ao recordar que o governo federal já confirmou a presença no país de um membro declarado desse grupo, suspeito de ter organizado o atentado de Bali.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.