Austrália anuncia retirada de tropas no Iraque a partir de 2008

Futuro premiê afirma que os soldados deixarão o país na metade no próximo ano; medida desagrada os EUA

Associated Press,

30 de novembro de 2007 | 08h08

O novo primeiro-ministro da Austrália, Kevin Rudd, disse nesta sexta-feira, 30, que as tropas de combate australianas começarão a deixar o Iraque "na metade de 2008".   Rudd, cujo Partido Trabalhista venceu as eleições no último sábado, prometeu, antes de ser eleito, retirar 550 soldados do Iraque, mesmo indicando que deixaria outras centenas de combatentes na região.   A medida deve desagradar o governo americano, que conta com o apoio australiano desde o início da invasão iraquiana em 2003.   O Partido Trabalhista da Austrália venceu as eleições gerais no último sábado, acabando com mais de 11 anos de governo do conservador John Howard, cujo partido também anunciou nesta quinta uma nova equipe. No mesmo dia em que Rudd anunciou a composição de seu ministério, o Partido Liberal, derrotado nas eleições, escolheu o atual ministro da Defesa, Brendan Nelson, como seu novo líder.

Tudo o que sabemos sobre:
AustráliaIraque

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.