Austrália aumenta sanções ao regime do Zimbábue

Lista de partidários do regime de Mugabe que irá sofrer restrições inclui 75 zimbabuanos e 4 empresas

Efe

17 de dezembro de 2008 | 04h43

O governo da Austrália anunciou nesta quarta-feira que reforçará as sanções impostas contra o Zimbábue porque considera que o "brutal" regime do presidente, Robert Mugabe, é o responsável pela tragédia que sofre o país.   O ministro de Relações Exteriores, Stephen Smith, explicou em um comunicado que as sanções contra o país africano, com o qual a Austrália cortou os vínculos militares, tem como objetivo prejudicar o regime e não os cidadãos.   Smith especificou que o governo australiano incluiu 75 pessoas e quatro empresas na lista de membros e partidários do regime sobre os quais aplica restrições financeiras e de ingresso naquele país.   No último ano, a Austrália forneceu 21 milhões de dólares australianos (14,5 milhões de dólares) em ajuda humanitária ao Zimbábue. O executiva doará outro milhão de dólares da Austrália para ajuda emergencial. O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) receberá 80% dessa ajuda, enquanto a Organização Internacional para a Migração, receberá os outros 20%.  

Tudo o que sabemos sobre:
AustráliaZimbábuesanções

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.