Austrália critica DVD com pregação de radical islâmico

O Procurador-geral interino da Austrália, Kevin Andrews, condenou nesta quinta-feira os comentários de um líder dacomunidade muçulmana australiana gravados num DVD, que incentivam os pais a fazer de seus filhos mártires do Islã.As lições dadas por Feiz Mohammed, diretor do Centro Global para os Jovens Islâmicos no bairro de Liverpool, nos arredores de Sydney, foram gravadas em vídeos mostrados no documentário britânico "Mesquita secreta" (Undercover Mosque), apresentado esta semana pela televisão britânica Channel 4.O documentário, segundo o site do canal britânico, expõe asopiniões de Feiz Mohammed sobre a educação dos filhos. O religioso diz, segundo as palavras transcritas pela agência australiana de notícias AAP, que "não há nada melhor que morrer como ´mujahedin´ (combatente)" e pede aos fiéis que ponham "em seus corações o entusiasmo pela ´jihad´ (guerra santa) e o amor pelo martírio".Os DVDs estão à venda nas ruas e pela internet, numa coleção chamada "Séries de Morte", por 150 dólares australianos (US$ 110).Andrews disse num comunicado que "o governo australiano denuncia estas manifestações ofensivas e reprováveis, e, em particular os comentários escandalosos sobre a comunidade judaica na Austrália".O Procurador-geral ressaltou que "a importação do ódio àAustrália é inaceitável, ofensiva e reprovável", após comentar que num dos vídeos Mohammed chama os judeus australianos de "porcos".Feiz Mohammed nasceu em Sydney e há um ano vive no Líbano, segundo a rádio australiana ABC.O porta-voz da Associação de Amizade Islâmica, Kaysar Trad,declarou à emissora que os comentários não refletem os sentimentos da comunidade muçulmana geral e "dão uma impressão errônea sobre o Islã".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.