Austrália decreta estado de emergência em 45 comunidades por inundações

Enchentes já mataram quatro pessoas, destruíram plantações e deixaram casas debaixo d´água

Efe,

10 de dezembro de 2010 | 02h27

Ambientalista resgata canguru das enchentes perto de Wellington.

 

SYDNEY - A Austrália declarou nesta sexta-feira, 10, estado de emergência em 45 comunidades atingidas pelas graves inundações que sofrem há uma semana os estados de Nova Gales do Sul e Queensland, na região sudeste do país.

 

O procurador-geral australiano, Robert McClelland, explicou que a medida permitirá que esses estados tenham acesso aos fundos de emergência nacionais para combater as tragédias.

 

As chuvas torrenciais começaram na última sexta-feira, 3, e desde então deixaram casas debaixo d´agua, destruíram plantações e provocaram a morte de pelo menos quatro pessoas.

 

As tempestades fizeram sua quarta vítima na noite desta quinta-feira, 9, quando um homem de meia idade se afogou dentro do seu próprio carro, que caiu em um rio no estado de Queensland, o mais populoso do país.

 

Após anos de seca, as intensas chuvas de dezembro arrasaram o sudeste da Austrália, onde milhares de pessoas foram retiradas.

Os serviços de resgate percorrem a zona em embarcações para recolher motoristas cujos automóveis tenham ficado presos na lama e para proteger com sacos de areia casas e lojas.

 

Apesar de as tempestades terem diminuído de intensidade em algumas comunidades, a maioria se prepara para mais chuvas nos próximos dias.

As atuais inundações são as piores desde 1974, quando uma série de tempestades fez transbordar os rios, matando dezenas de habitantes da região de Queanbeyan.

 

Os especialistas acreditam que as fortes chuvas foram causadas pelo fenômeno La Niña, que esfria as correntes marinhas do Oceano Pacífico e aumenta as precipitações.

Tudo o que sabemos sobre:
ChuvaAustráliaenchenteemergência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.