Austrália deportará 'assassino da lua de mel' para EUA

Um americano apelidado de "assassino da lua de mel" será deportado para os Estados Unidos, informaram hoje autoridades da Austrália. David "Gabe" Watson é acusado de matar a mulher dias após o casamento, durante uma viagem de lua de mel onde ambos realizaram mergulho.

AE, Agência Estado

18 de novembro de 2010 | 11h05

A Austrália concordou com a deportação apenas depois de os EUA garantirem que Watson não corre risco de pena de morte, segundo funcionários da imigração australiana, informou a agência de notícias AAP.

Watson deixou a prisão em 11 de novembro, mas imediatamente passou para a custódia de funcionários da imigração, enquanto funcionários australianos aguardavam garantias de que ele não poderia ser executado em seu Estado natal, o Alabama. As leis australianas impedem que suspeitos sejam extraditados caso possam ser condenados à pena de morte.

Christina Watson, de 26 anos, morreu afogada em uma barreira de corais em 2003, após seu marido, um mergulhador experiente, não inflar seu colete salva-vidas e não remover os pesos sobre ela, a fim de que a mulher voltasse à superfície.

Um juiz investigativo concluiu que provavelmente Watson matou a esposa, segurando-a embaixo d''água e retirando seu suprimento de ar. Segundo a investigação, aparentemente ele queria ganhar o dinheiro do seguro de vida dela. "Por razões operacionais, o departamento não discute o dia da retirada, exceto que ele será removido o mais rápido possível", disse o funcionário da imigração. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.