Austrália e leste da Ásia recebem 2013 com entusiasmo

O horizonte de Sydney brilhou com os fogos de artifício que foram o ponto alto do espetáculo que saudou a chegada de 2013, enquanto os chineses acompanharam shows em Hong Kong e Pequim. Já Mianmar (antiga Birmânia) teve sua primeira festa de Réveillon em mais de cinco décadas. A Ásia e a Oceania deram as boas vindas ao Ano Novo em larga escala, festejando com renovado otimismo. A festa começou em Sydney, onde foram disparadas sete toneladas de fogos de artifício, muitos deles em forma de cascata na ponte do Porto, uma extravagância que custou US$ 6,9 milhões e que segundo os organizadores é a maior do mundo.

AE, Agência Estado

31 de dezembro de 2012 | 18h29

Em Hong Kong, houve a tradicional queima de fogos, que custou US$ 1,6 milhão e segundo os organizadores foi a maior festa que ocorreu na cidade do sul da China. Em Mianmar, país que passa por uma transição da ditadura para a democracia, cerca de 90 mil pessoas foram às ruas em Rangum comemorar a chegada de 2013. Foi a primeira vez em cinco décadas que houve ma festa popular de Réveillon.

A um ano da chegada ao poder do governante Kim Jong-un, os norte-coreanos deram a boa vinda a 2013, descrito como "juche 102" no calendário tradicional coreano. "Juche" significa autossuficiência no idioma coreano. Houve uma modesta queima de fogos às margens do rio Taedong.

As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.