James Ross/EFE/EPA/AAP
James Ross/EFE/EPA/AAP

Austrália e Nova Zelândia manterão restrições para conter coronavírus

Números de novos casos nos dois países caíram drasticamente, o que fez aumentar a esperança de flexibilização das medidas de distanciamento social

Redação, O Estado de S.Paulo

14 de abril de 2020 | 02h18

SYDNEY - Os governos de Austrália e Nova Zelândia não reduzirão as restrições de viagens e reuniões públicas nos dois países, apesar do sucesso na contenção da epidemia de covid-19 na região.

Os números de novos casos de coronavírus nos dois países caíram drasticamente nas últimas duas semanas, o que fez aumentar a esperança de um relaxamento das medidas de isolamento social. No entanto, o primeiro-ministro australiano, Scott Morrison, afirmou que o país está "a muitas semanas" de suspender qualquer restrição.

"A paciência tem que ser nossa virtude aqui", disse Morrison, assinalando que países como Cingapura e Coreia do Sul tiveram um sucesso inicial contra a doença e depois verificaram um aumento dos casos diante da flexibilização de restrições.

A Austrália registrou apenas 63 novos casos de covid-19 entre domingo e segunda-feira, o que eleva o número total a 6.366, para uma população de 25 milhões. Este foi o menor aumento relativo registrado em todo o último mês. A Nova Zelândia, com cinco milhões de habitantes, teve apenas oito novos casos nesta terça-feira, 14, totalizando 1.072. Foi o menor número em mais de três semanas.

"Fomos relativamente bem-sucedidos, mas não quero desperdiçar este sucesso e os sacrifícios feitos pelos neozelandeses", disse a primeira-ministra Jacinda Ardern sobre a suspensão do confinamento. Ardern não prevê qualquer nova medida até, pelo menos, a próxima semana.

Os dois países fecharam suas fronteiras aos estrangeiros e impuseram quarentena de 14 dias aos cidadãos vindos do exterior. A Nova Zelândia impôs o confinamento residencial, enquanto a Austrália adotou severas restrições de circulação, reunião e atividades públicas. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.