Austrália e Nova Zelândia negam apoio a ataque ao Iraque

O primeiro-ministro australiano, John Howard, afirmou que ainda não está convencido de que seria do interesse da Austrália se unir aos Estados Unidos em uma possível guerra contra o Iraque. Falando hoje ao Parlamento, Howard disse que estava esperando ouvir primeiro de Washington suas justificativas para um ataque ao regime de Saddam Hussein, antes de decidir qual será o envolvimento da Austrália na questão. "Esta decisão (de nos unirmos aos EUA) apenas será tomada por este governo se acreditarmos que se trata de uma questão de interesse nacional, e nós queremos estar completamente certos de que ela servirá aos interesses nacionais", disse Howard. Ele afirmou também que a Austrália, como um dos principais aliados dos EUA, será um dos primeiros países informados por Washington sobre uma possível ação militar contra o Iraque. Também hoje, a primeira-ministra da Nova Zelândia, Helen Clark, garantiu que seu governo não apoiará uma campanha militar liderada pelos EUA no Iraque, afirmando que tal ação deve ser decidida apenas pela ONU.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.