Austrália exige apoio de Putin sobre avião derrubado

O primeiro-ministro da Austrália, Tony Abbott, disse nesta quinta-feira que permanece determinado a conseguir um encontro com o presidente russo Vladimir Putin para exigir total cooperação nas investigações do avião da Malaysia Airlines derrubado na Ucrânia.

Estadão Conteúdo

06 de novembro de 2014 | 09h33

Abbott disse que irá realizar uma reunião bilateral com Putin o quanto antes. A previsão é que isso ocorra durante o Encontro de Cooperação Econômica Ásia-Pacífico, que ocorre em Pequim nos dias 9 e 10 de novembro, ou na semana seguinte, em Brisbane, onde a Austrália sediará uma reunião do G-20.

"De um jeito ou de outro, tomarei a chance de conversar com o presidente russo em algum momento da próxima semana ou depois", disse Abbott a repórteres durante uma coletiva de imprensa junto ao primeiro-ministro da Holanda, Mark Rutte. Os dois líderes informaram que investigadores recuperaram novos restos humanos nesta semana na região leste da Ucrânia, onde forma localizados os destroços da aeronave.

Segundo Rutte, o primeiro-ministro da Malásia, Najib Razak, também irá tentar se encontrar com Putin durante o encontro da Ásia-Pacífico.

Autoridades russas já haviam ridicularizado ameaças de Abbott para confrontar Putin no mês passado, insistindo que o líder australiano não teria oportunidades de conversar com seu contraparte russo, já que nenhum encontro bilateral estava agendado.

"Não queremos que a investigação seja ridicularizada; não queremos que a investigação seja comprometida ou sabotada", afirmou Abbott.

O voo foi derrubado no dia 17 de julho e deixou 298 pessoas mortas, em sua maioria holandeses, mas também australianos. Fonte: Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.