Austrália: Igreja Católica é investigada por abusos

A primeira-ministra da Austrália, Julia Gillard, solicitou uma investigação federal nesta segunda-feira para averiguar os supostos casos de abuso sexual infantil em grupos comunitários e instituições estatais e religiosas. A medida segue-se a uma série de acusações contra padres e alegações do envolvimento da Igreja Católica para ocultar os crimes.

AE, Agência Estado

12 de novembro de 2012 | 11h25

Na semana passada, o governador do Estado australiano de Nova Gales do Sul iniciou uma investigação para verificar acusações de um esquema de acobertamento de abuso sexual por padres católicos da região de Hunter Valley, ao norte de Sydney. Em paralelo, as autoridades do Estado de Vitória também estão investigando alegações de casos de abusos por sacerdotes católicos na região.

"Qualquer tipo de abuso de crianças é algo abominável e maléfico. Os australianos sabem disso", disse a primeira-ministra a repórteres em Camberra.

"Os cidadãos da Austrália sabem, a partir das revelações que leram nas últimas semanas, que muitas crianças sofreram abuso e também têm sido decepcionadas por outros adultos. Eles não foram traídas apenas pelos agressores, mas também por outras pessoas que poderiam ter agido para ajudar e falharam."

A investigação se concentrará em instituições religiosas e estatais, escolas e grupos comunitários como clubes esportivos. Além disso, as respostas da polícia às alegações de abuso também serão analisadas. Estima-se que o inquérito levará alguns anos para ser concluído. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
AustráliaabusomenoresIgreja

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.