Austrália impõe novas sanções econômicas à Síria

O governo da Austrália anunciou novas sanções econômicas contra a Síria nesta segunda-feira, juntando-se aos EUA e à União Europeia no aumento da pressão sobre o presidente sírio, Bashar al-Assad, para acabar com um conflito que já dura 16 meses. As últimas sanções restringem negócios com petróleo e no setor financeiro, bem como o comércio de metais e pedras preciosas e equipamentos utilizados para monitorar e interceptar comunicações - entre outros.

(AE), Agência Estado

24 de junho de 2012 | 23h47

A Austrália já mantém um embargo de armas à Síria. "O regime Assad continua a mostrar a sua indisponibilidade em negociar um cessar-fogo e colocar fim ao derramamento de sangue na Síria," disse, em comunicado, o ministro dos Negócios Estrangeiros da Austrália, Bob Carr. "Essas sanções refletem a condenação da Austrália ao regime de Assad e os nossos contínuos esforços para ajudar a trazer a Síria para uma mesa de negociações", acrescentou o ministro. As informações são da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
AustráliasançõesSíria

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.