Austrália nega visto a jornalista que entrevistou Bin Laden

Ministro de Imigração, Kevin Andrews, afirma que "a solicitação está sendo estudada"

Efe,

13 de setembro de 2007 | 01h55

O diretor do jornal Al Qods Al Arabi, o palestino Abdel Bari Atwan, que entrevistou Osama bin Laden em 1996, cancelou sua participação no Festival de Escritores de Brisbane porque não recebeu o visto de entrada na Austrália, informou nesta quinta-feira, 13, a imprensa australiana. O palestino Atwan, autor do livro A história secreta da Al Qaeda, no qual detalha seu encontro com Bin Laden, acusou o Governo australiano de retardar a aprovação de seu visto, que solicitou há um mês, segundo o jornal The Australian. O ministro de Imigração, Kevin Andrews, emitiu um comunicado para afirmar que "a solicitação está sendo estudada e submetida aos procedimentos ordinários". O diretor do Festival de Escritores de Brisbane, Michael Campbell, disse que os vistos dos outros convidados estrangeiros tinham sido aprovados em questão de dias. Uma porta-voz do ministro de Imigração comentou que a entrevista de Bin Laden a Atwan tinha chamado a atenção das agências de segurança. "Isso é ridículo. Não sou um terrorista, não sou um traficante de drogas, trabalho com palavras e com idéias", disse Atwan ao Australian.

Tudo o que sabemos sobre:
AustráliavistoBin LadenBari Atwan

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.