Austrália pode proibir entrada de imigrantes com Aids

O primeiro-ministro australiano, John Howard, afirmou que os imigrantes portadores do vírus da Aids não deveriam obter autorização para trabalhar na Austrália.Além disso, o Governo está estudando um endurecimento das atuais leis tanto para os trabalhadores estrangeiros como para as pessoas que solicitem asilo político no país, embora possa fazer exceções por "considerações humanitárias", afirmou nesta sexta-feira o primeiro-ministro à emissora estatal."Acho que deveríamos ter os requerimentos mais estritos possíveis (em relação a este problema) em escala nacional", disse Howard, acrescentando que o ministro da Saúde, Tony Abbot, está estudando maneiras de colocar esta política em prática.A iniciativa foi criticada pelos imigrantes soropositivos, que acusaram o premier de culpá-los por sua doença. Desde que o HIV foi detectado pela primeira vez na Austrália, em 1982, o país registrou um total de 25.703 de portadores do vírus, dos quais 9.827 desenvolveram a Aids e 6.621 morreram em função da doença, segundo dados fornecidos em outubro de 2006 pelo CentroNacional de Pesquisa Epidemiológica e Clínica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.