Austrália reduz presença militar no Timor Leste

O governo australiano começou a reduzir o número de suas tropas no Timor Leste, mas não previu uma data para a retirada definitiva. Os 3 mil militares australianos no Timor Leste deverão serreduzidos a cerca de 2 mil. O efetivo poderá ser mantido até a completa estabilização política do país, segundo o comunicado do Ministério da Defesa. "À medida que melhora a situação de segurança e as operações policiais passam a ser mais importantes, os elementos da força militar que deixaram de ser essenciais voltarão para a Austrália",diz o texto. Depois do retorno dos primeiros mil soldados, o comando militar continuará reduzindo a presença australiana no país, que possivelmente ficará subordinada a uma força internacional desegurança com tropas e agentes de polícia. O Timor Leste sofreu uma profunda crise política e social que começou em maio e levou à renúncia do primeiro-ministro Mari Alkatiri, acusado de fornecer armas a grupos criados para eliminaros seus rivais políticos. Alkatiri, substituído por José Ramos-Horta no mês passado, afirma que sua queda foi "uma conspiração orqusetrada" e culpa Canberra, alegando que o governo australiano estaria descontente com o atual tratamento dado aos recursos energéticos do mar do Timor.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.