Austrália restringe vistos de países afetados pelo ebola

Autoridades do governo australiano anunciaram o cancelamento dos vistos de pessoas vindas de países da África Ocidental afetados pelo ebola. A medida afeta possuidores de vistos temporários que ainda não tenham viajado para a Austrália. Cidadãos com vistos permanentes devem ser submetidos a uma quarentena de 21 dias antes de viajarem ao território australiano. A emissão de novos vistos também foi suspensa.

Estadão Conteúdo

28 de outubro de 2014 | 15h15

Mais de 800 pessoas vindas da África Ocidental desembarcaram em aeroportos australianos. Embora os passageiros pudessem ter estado em regiões atingidas pela epidemia de ebola, nenhum recebeu acompanhamento médico.

O ministro da imigração da Austrália, Scott Morrison, disse ao parlamento na segunda-feira que "os sistemas e processos do governo estão trabalhando para proteger os cidadãos australianos".

Na semana passada, o primeiro ministro australiano, Tony Abbott, disse que está considerando os pedidos de ingleses e americanos para que a Austrália envie agentes de saúde à África. Até o momento, o governo australiano doou US$ 16 milhões para combater o ebola, mas se recusa a enviar médicos aos países afetados até que haja garantias de que eles receberão tratamento adequado no caso de serem infectados pelo vírus. Fonte: Associated Press

Tudo o que sabemos sobre:
Austráliaebolavistos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.