Austrália se compromete a melhorar a saúde para os aborígines

O Executivo australiano criará o Conselho para a Igualdade na Saúde Indígena

EFE,

20 de março de 2008 | 02h28

O primeiro-ministro australiano, Kevin Rudd, se comprometeu, nesta quinta-feira, a reformar o sistema de saúde para que os aborígines recebam os mesmos serviços médicos que os outros cidadãos da Austrália. O líder trabalhista, que em 13 de fevereiro ofereceu aos aborígines uma desculpa histórica devido aos erros cometidos pelos Governos anteriores, fez esta promessa em uma cúpula sobre a saúde indígena, realizada em Canberra. Rudd e o líder da oposição conservadora, Brendan Nelson, assinaram uma declaração para reduzir o desequilíbrio entre os serviços recebidos pelos australianos indígenas e os não indígenas, e especialmente reduzir o índice de mortalidade infantil entre os aborígines. O Executivo australiano criará o Conselho para a Igualdade na Saúde Indígena, construirá novas infra-estruturas e aumentará o número de médicos do sistema de saúde, além de oferecer possibilidades de formação profissional em saúde à comunidade indígena. Rudd também anunciou que seu Governo destinará 33,5 milhões de dólares australianos (US$ 30,4 milhões) para reduzir o tabagismo entre os aborígines. A cúpula teve a participação de dois campeões olímpicos, a atleta aborígine Cathy Freeman e o nadador Ian Thorpe, que disse que os australianos têm a "responsabilidade moral" de igualar o tratamento entre aborígines e os outros cidadãos.

Tudo o que sabemos sobre:
saúde, indígena. sydney

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.