Austrália se prepara para possível extradição de Assange

A Austrália confirmou que seu posto diplomático em Washington, EUA, tem se preparado para uma possível extradição do fundador e editor-chefe do site de divulgação de denúncias WikiLeaks, Julian Assange, para território norte-americano, mas classificou o movimento como apenas "planos de contingência".

DANIELLE CHAVES, Agência Estado

18 de agosto de 2012 | 11h21

O ministro do Comércio australiano, Craig Emerson, destacou que a preparação não é algo fora do normal. "A embaixada está fazendo seu trabalho, apenas para estar em uma posição de aconselhar o governo, se acreditar que uma extradição é iminente. Não há evidências de tal esforço de extradição", disse Emerson à rede ABC. "Tudo que está acontecendo é que o posto em Washington está fazendo planos de contingência para o caso de tal acontecimento surgir", acrescentou.

As declarações do ministro foram feitas depois de relatos de que diplomatas australianos acreditam que Washington quer a extradição de Assange por causa de um possível processo por acusações que incluem espionagem e conspiração relacionadas ao site WikiLeaks. Citando informações diplomáticas de autoridades australianas, o jornal The Age afirmou que a embaixada australiana está levando a sério uma possível extradição de Assange para os EUA.

Segundo a reportagem, as informações mostram que a Austrália não tem objeção à ida de Assange para os EUA e pediu um aviso antecipado do governo norte-americano sobre qualquer decisão de intimar o acusado ou de levá-lo para o país. Emerson confirmou que a embaixada australiana tem avaliado o assunto, mas disse que não há evidência de que os EUA estejam se preparando para isso.

Assange está refugiado na embaixada do Equador em Londres desde junho e nesta semana recebeu asilo político do país sul-americano. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EquadorJulian AssangeAustrália

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.