Austrália trata áreas de incêndio como locais de crime

A polícia australiana tratou toda a área de desastre atingida por incêndios como cena de um crime na terça-feira (horário local), enquanto investigadores buscavam pistas que levassem aos culpados pelos piores incêndios da história do país. Os trabalhos de investigação começaram apesar da existência de 25 focos de incêndio no sul de Victoria, incluindo em algumas das áreas mais atingidas no norte de Melbourne, onde, até agora, 173 mortes foram confirmadas. Muitas das pessoas morreram queimadas em seus carros ou dentro de casa. "Todos os incêndios foram tratados como cenas de crimes", disse um porta-voz da polícia, acrescentando que os investigadores especializados em incêndios de todo o país se encaminhavam para a zona do desastre. "Nós acreditamos que eles (os incêndios) foram provocados deliberadamente, mas não podemos confirmar", acrescentou. O primeiro-ministro australiano, Kevin Rudd, já classificou os responsáveis pelos incêndios de "assassinos em massa" e o Estado de Victoria determinou uma investigação sobre as causas dos incêndios. Anteriormente, os piores incêndios da história da Austrália haviam acontecido em 1983, quando 75 pessoas morreram e mais de 2 mil casas foram destruídas. O número de mortos pelos incêndios mais recentes pode aumentar ainda mais, já que as chamas ainda queimam em algumas partes de Victoria.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.