Austrália veta aliança entre companhias aéreas

Para órgão regulador, união das empresas pode reduzir a concorrência no país

Efe

10 de setembro de 2010 | 04h51

SIDNEY - O organismo regulador australiano para a concorrência comercial vetou nesta sexta-feira a aliança proposta entre as companhias aéreas Virgin Blue e Air New Zealand, que projetavam operar voos conjuntos na Oceania.

Em comunicado, a Comissão Australiana para o Consumo assinalou que é muito provável que o acordo entre as duas companhias aéreas "reduza a concorrência no mercado do transporte aéreo de passageiros" entre Austrália e Nova Zelândia.

A aliança, proposta em maio, incluía o plano das duas companhias de fixar um mesmo preço para as passagens e coordenar as rotas aéreas, com a finalidade de aumentar sua competitividade frente à companhia aérea australiana Qantas Airways e a Jetstar, sua filial de baixo custo.

O organismo regulador explicou que a aliança permitiria que Virgin Blue e Air New Zealand reduzissem custos operacionais, mas considerou que "afetará de forma adversa cerca de um milhão de viajantes".

Atualmente, embora 11 companhias aéreas tenham voos entre Nova Zelândia e Austrália, a maior fração de mercado é a da Air New Zealand, com 38%.

A fração da Qantas e Jetstar é de 32%, enquanto o restante é dividido entre as outras companhias aéreas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.