EFE / EPA / DEAN LEWINS AUSTRALIA AND NEW ZEALAND OUT
EFE / EPA / DEAN LEWINS AUSTRALIA AND NEW ZEALAND OUT

Austrália violou direitos humanos ao confinar 3 mil moradores de habitações públicas, diz relatório

Victoria, o segundo estado mais populoso do país, fechou nove torres de moradias públicas por vários dias em julho devido a um aumento nos casos de coronavírus

Redação, O Estado de S.Paulo

17 de dezembro de 2020 | 03h20

SYDNEY - A decisão de um estado australiano de trancar mais de três mil pessoas em torres de habitação pública para conter um segundo surto de covid-19 não foi baseada em conselhos de saúde diretos e violou direitos humanos, disse a ouvidora do estado de Victoria em um relatório.

Victoria, o segundo estado mais populoso da Austrália, fechou nove torres de moradias públicas por vários dias em julho devido a um aumento nos casos de coronavírus.

O diretor de saúde em exercício de Victoria teve apenas 15 minutos para considerar e aprovar o bloqueio, incluindo os impactos potenciais sobre os direitos humanos, disse a ouvidora Deborah Glass em seu relatório divulgado nesta quinta-feira, 17.

“O confinamento apressado não era compatível com os direitos humanos dos residentes, incluindo seu direito a tratamento humano quando privados de liberdade..., a ação parecia ser contrária à lei”, disse ela.

Os moradores de oito torres ficaram confinados em seus apartamentos por cinco dias, mas a nona torre, que teve o maior número de infecções, passou por um bloqueio total de duas semanas.

Alguns ficaram sem comida e medicamentos, enquanto muitos outros esperaram mais de uma semana para poder sair, disse o relatório.

O governo estadual reconhece que erros foram cometidos, mas disse que as decisões foram tomadas para garantir a segurança dos moradores.

"Não pedimos desculpas por salvar a vida das pessoas, absolutamente nenhuma desculpa por salvar a vida das pessoas", disse o ministro da Habitação do estado de Victoria, Richard Wynne, a repórteres.

Não ficou imediatamente claro se as descobertas abririam quaisquer recursos legais para os residentes processarem o governo.

Victoria foi colocada em um bloqueio estadual dias depois que as autoridades fecharam as torres para conter novos surtos, mas desde então eliminou efetivamente o vírus devido ao fechamento.

Nenhum novo caso foi notificado no estado por 48 dias consecutivos até esta quinta./Reuters

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.