Australiano capturado no Iraque exige desculpa de ministro

Um jornalista australiano seqüestrado e solto depois de 24 horas no Iraque exige que o ministro das Relações Exteriores da Austrália, Alexander Downer, peça desculpas, e sugeriu ao chanceler que tenha aulas de geografia para saber quais são as áreas proibidas de Bagdá. Os iraquianos que seqüestraram John Martinkus em Bagdá e ameaçaram assassiná-lo fizeram uma pesquisa na internet para conhecer o teor de suas reportagens e o libertaram ileso, disse um colega de trabalho do australiano. Martinkus, o primeiro australiano seqüestrado no Iraque desde a invasão do país árabe, foi capturado no sábado e mantido em cativeiro durante cerca de 24 horas antes de ser libertado. O jornalista exigiu um pedido pessoal de desculpas por parte de Downer pelos comentários feitos pelo chanceler quando ficou sabendo do seqüestro. Na segunda-feira, Downer disse a jornalistas que Martinkus teria sido seqüestrado em "um bairro de Bagdá que ele teria sido avisado para não ir, mas foi assim mesmo". "Alexander Downer não entende muito de geografia, pelo jeito", disse Martinkus a jornalistas assim que desembarcou no Aeroporto Internacional de Sydney nesta terça-feira. "Quando fui seqüestrado, eu estava exatamente em frente à Embaixada da Austrália em Bagdá. Na verdade, ele deveria pedir desculpas a mim, pessoalmente."

Agencia Estado,

19 Outubro 2004 | 16h22

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.