Australiano é acusado de abusar da filha por 30 anos

Um homem da Austrália foi preso, acusado de violar a filha durante 30 anos e ter quatro filhos com ela, informou hoje a imprensa do país. A polícia afirmou que não pode comentar o caso, por ordem judicial. Os jornais "Herald Sun" e "Australian Broadcasting Corp." afirmaram que o homem era acusado por violar a filha desde os anos 1970, quando ela tinha 11 anos, usando a ameaça de agredir a mãe dela, caso a jovem se recusasse a ceder. Ele foi preso em fevereiro, quando a mulher o denunciou à polícia. O homem negou ter violado a garota, segundo as versões. Por sua vez, a promotoria afirma que os exames de DNA comprovam que o suspeito é o pai dos filhos de sua própria filha.

AE-AP, Agencia Estado

17 de setembro de 2009 | 15h23

O caso lembrou o do austríaco Josef Fritzl, condenado em março por manter cativa sua filha durante 24 anos, a violando reiteradamente e tendo com ela sete filhos. O primeiro-ministro do Estado de Victoria, John Brumby, disse que não podia comentar o fato para não prejulgar. "É um caso terrível. Nos faz pensar o pior", notou ele. A "ABC" informou que o suspeito, um sexagenário, será acusado por violações, incestos, agressões indecentes e agressão comum, quando comparecer a um tribunal em novembro. A mulher do acusado, também mãe da vítima, negou que sabia sobre o abuso, segundo o "Herald Sun". "Vivíamos em uma casa grande, de modo que eu não havia me inteirado", afirmou ela ao diário. "Ele falava muito. Era um beberrão."

Os quatro filhos nasceram com problemas de saúde e um deles morreu, segundo a versão do jornal. A filha denunciou inicialmente a polícia pelo suposto abuso em 2005, mas desde então não foram apresentadas acusações, porque a mulher disse que temia por sua segurança e não cooperou com a polícia, afirma a reportagem.

Tudo o que sabemos sobre:
Austráliaincestoabuso sexualfilhos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.