Australianos condenados à prisão perpétua na Indonésia por narcotráfico

Os australianos Matthew Norman, Tach Duc Thanh Nguyen e Si Yi Chen foram condenados nesta quarta-feira à prisão perpétua por um tribunal de Bali, que os declarou culpados por uma frustrada operação para contrabandear 8,3 quilos de heroína da Indonésia para a Austrália. Eles fazem parte do grupo de nove australianos detidos em abril do ano passado na Ilha de Bali, na Indonésia, acusados de narcotráfico. Os cérebros da operação, Myuran Sukumaran e AndrewChan, foram condenados à morte na terça-feira. Os outros integrantes da quadrilha - Renae Lawrence (a única mulher), Scott Rush, Martin Stephens e Michael Czugaj - também foram condenados à prisão perpétua em sentençasanunciadas entre segunda e terça. Os condenados disseram que recorrerão de suas penas, primeiro ao Tribunal Superior de Bali e, se perderem, na Corte Suprema da Indonésia. Esgotados todos os recursos legais, os nove australianos sempre poderão, numa última instância, apelar à clemência do Chefe de Estado indonésio. O governo da Austrália tentará evitar a execução de seus dois cidadãos porque, segundo explicou o ministro de Assuntos Exteriores, Alexander Downer, a maioria da população do país é contra a pena de morte. O primeiro-ministro australiano, John Howard, disse que estas penas devem servir de advertência a outros jovens australianos para não correrem riscos que definiu como "estúpidos".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.