REUTERS|Srdjan Zivulovic
REUTERS|Srdjan Zivulovic

Áustria construirá cerca para controlar fluxo de refugiados

Ministra do Interior, Johanna Mikl-Leitner, disse que medida não fechará as fronteiras do país; Alemanha cobra dos austríacos controle das pessoas que cruzam seu território em direção à Baviera

O Estado de S. Paulo

28 Outubro 2015 | 11h35

VIENA - A Áustria anunciou que levantará uma cerca em parte de sua fronteira com a Eslovênia para lidar com o fluxo dos milhares de refugiados que chegam ao país a cada dia, afirmou a ministra do Interior, Johanna Mikl-Leitner. 

Johanna chegou a na terça-feira sobre a possível construção de uma "barreira técnica", mas evitou a palavra "cerca", embora tenha reconhecido nesta quarta-feira, 28, que ela será levantada, não para fechar a fronteira, mas para permitir um trânsito ordenado.

"Trata-se de permitir um acesso (ao país) ordenado e controlado, não de fechar nossas fronteiras", garantiu a ministra, em entrevista à rádio pública austríaca. "Certamente se trata de uma cerca, mas não para fechar a fronteira."

Por enquanto não há mais detalhes sobre quando a barreira começará a ser construída. A ministra afirmou que o país deve estar preparado caso a crise se agrave e lembrou que nos últimos dias alguns grupos de refugiados tinham se comportado de forma "agressiva".

"Nos últimos dias grupos de refugiados se comportaram de forma mais impaciente, agressiva e emocional", declarou Johanna. Na última semana alguns grupos de milhares de refugiados burlaram o cordão policial para entrar na Áustria na fronteira com a Eslovênia, após esperar horas sob as baixas temperaturas do outono europeu.

Há poucos dias as autoridades regionais alemãs da Baviera acusaram a Áustria de enviar milhares de refugiados sem registrá-los.

A ministra austríaca respondeu a essas críticas dizendo que a atual afluência em massa de refugiados se deve à promessa do governo alemão de não devolver os refugiados sírios ao primeiro país pelo qual entraram à União Europeia (UE), como estabelecem as normas comunitárias de asilo.

Cobranças. O ministro de Interior da Alemanha, Thomas de Maizière, pediu nesta quarta-feira ao governo austríaco que ponha ordem imediatamente nos fluxos de refugiados em direção a Alemanha, após denunciar que nos últimos dias muitas pessoas foram levadas até a fronteira sem nenhum tipo de aviso nem coordenação.

"O comportamento da Áustria não foi correto nos últimos dias", disse Thomas, fazendo eco das queixas do Estado da Baviera diante da chegada maciça e descontrolada de solicitantes de asilo à fronteira.

Sem dar números concretos, ele indicou que as chegadas pela rota dos Bálcãs subiram "de forma notável" e estão fazendo grandes esforços para receber na Baviera todas essas pessoas e para distribui-las por outros Estados federados. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.