AFP PHOTO / ATTILA KISBENEDEK
AFP PHOTO / ATTILA KISBENEDEK

Áustria detém 200 refugiados e 5 traficantes de pessoas em ação na fronteira

País começou hoje a intensificar as inspeções em caminhões que passam em áreas fronteiriças depois que 71 imigrantes morreram sufocados na semana passada

O Estado de S. Paulo

31 de agosto de 2015 | 08h23

VIENA - Autoridades austríacas descobriram cerca de 200 pessoas que buscavam asilo e prenderam cinco traficantes de pessoas como parte de uma nova operação nas fronteiras do país, disse uma autoridade sênior do Ministério do Interior nesta segunda-feira, 31.

"Desde que começamos a implementar estas medidas junto à Alemanha, Hungria e Eslováquia conseguimos mais de 200 refugiados e detivemos cinco traficantes", disse Konrad Kogler, diretor-geral de segurança pública do ministério.

A ministra do Interior da Áustria, Johanna Mikl-Leitner, disse que as verificações que acontecem nas fronteiras austríacas não são parte dos controles clássicos fronteiriços.

Ainda hoje, a Áustria intensificou as inspeções em caminhões em sua fronteira com a Hungria depois que 71 imigrantes aparentemente morreram sufocados em um deles, criando um intenso engarrafamento de 30 km na principal rodovia que liga Budapeste a Viena.

Na Alemanha, o governo da Bavária, que faz fronteira com a Áustria, afirmou que também iniciou um processo de controles rodoviários especiais nas estradas próximas às áreas fronteiriças.

O aumento dos controles pelos austríacos “prova que nenhum país europeu permitirá que imigrantes ilegais, incluindo refugiados, alcancem o território sem controle”, disse o governo da Hungria. O país está construindo uma cerca de 4 metros de altura em sua fronteira com a Sérvia para tentar conter o fluxo de imigrantes que cruzam a região. /REUTERS e ASSOCIATED PRESS

Tudo o que sabemos sobre:
imigraçãocriseEuropa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.